Doação de sangue, um ato de amor


O australiano Phil Baird foi certificado pelo Guinness Book em 2011 como dono do recorde de maior número de doações que, desde a primeira, em 1954, até o referido ano, totalizou 103,96 litros de sangue, equivalente a quase 21 vezes a quantidade presente no corpo humano que é de cinco litros. No Brasil, o maior doador é o gaúcho Orestes Golanovski, 72 anos, que doou 187 vezes, entre 1958 e 2006, parando ao completar a idade 65 anos, limite de idade permitida naquela época. No caso do recordista Phil Baird, sua doação se estendeu até os 75 anos que na época era a idade limite. O brasileiro Orestes, natural de Canoinhas (SC) em 2004 foi agraciado com o título de maior doador do mundo pela Federação Internacional das Organizações de Doadores de Sangue, tendo criado em 1991 uma associação de doadores com cerca de 5.000 pessoas cadastradas. Tanto o sangue de Phil como o de Orestes era do mesmo tipo sanguíneo, O+, um de maiores demandas.

DOE VOCÊ TAMBÉM

Para ser doador, é preciso ter entre 16 e 67 anos, pelo menos 50 kg e estar bem de saúde.

  • 92 milhões de doações todo ano no mundo
  • 500 ml é o máximo retirado em cada doação
  • 4 vidas podem ser salvas com o sangue de uma única doação
  • Mais de 60% dos doadores no Brasil são homens
  • 1,9% dos brasileiros doa sangue
  • 1 hora é o tempo médio para fazer uma doação, incluindo a espera
  • 4 produtos podem ser fracionados de uma doação: plasma, plaquetas, crioprecipitado e hemácias